Travessia da Serra Fina – do Ruah ao Três Estados e o final

Travessia da Serra Fina – do Ruah ao Três Estados e o final
Segundo acampamento, logo após o vale do Ruah.

Segundo acampamento, logo após o vale do Ruah.

O segundo dia começou mais cedo. Coloquei o despertador para as 05h50. Quer moleza? Fica em casa!

Desmontamos o acampamento, tomamos um capuccino e seguimos trilha molhada à frente, rumo ao Pico Três Estados, onde chegamos quatro horas depois. Rolezão! Vários trechos ruins de orientar, mas chegamos no tempo previsto. No alto da divida natural de SP, MG e RJ a neblina nos atrapalhou um pouco a visão e como também estávamos sem saber como estaria a trilha no trecho final, já que até ali estava bem fechada, não nos demoramos muito.

Floresta de bambus. Usar mochila pequena é uma ótima escolha.

Floresta de bambus. Usar mochila pequena é uma ótima escolha.

O Alto dos Ivos pode ser visto dali, distante mais 3 horas de pernada. Do alto dos Ivos a trilha quase que só desce. O capim de Anta vai rareando e a vegetação de campo de altitude vai dando lugar à floresta Atlântica. Capim Navalha de Macaco e bambus vão enganchando na mochila e a toda hora batem no rosto e nos olhos. Atenção para não nos machucarmos demanda um passo mais lento. Alcançamos a estrada abandonada que dá acesso à fazenda do Pierre e as 17h10 estamos no ponto de encontro do carro, onde o Ronaldo, amigo do Waldir nos espera para o resgate.

Waldir, feliz na última subida, que dá acesso ao Alto dos Ivos.

Waldir, feliz na última subida, que dá acesso ao Alto dos Ivos.

Fazer a travessia em 2 dias e meio foi desgastante, mas acho que foi o ideal. Consegui filmar, fotografar e curtir o visual. Fazer a caminhada em mais dias demandaria carregar muita água e peso. Menos tempo seria uma corrida sem muita curtição.

 

 


Tags assigned to this article:
Serra FinaWaldir Joel

Related Articles

Escalando Elektra na “simpática” Ana Chata

Semana passada fiz mais uma das muitas viagens no tempo que são as repetições de algumas das vias da Pedra

Expedição Lotus Flower Tower – aprendendo a suturar

Esta semana aprendi algo novo que será de grande valor nas próximas expedições: costurar companheiros estropiados. O teste foi com

Expedição Brasileira ao Mali no Fantástico

Escaladas e sufocos de uma expedição brasileira ao coração da África.

No comments

Write a comment
No Comments Yet! You can be first to comment this post!

Write a Comment