Abelhas na Pedra do Baú

Abelhas na Pedra do Baú

Após um acidente com montanhistas que foram atacados por um enxame de abelhas no Col da Pedra do Baú, há questão de três meses, muitos escaladores estão temerosos de escalar naquela região do Complexo. A Prefeitura mandou um apicultor para retirar a colméia, mas a tarefa não é assim tão simples, e as abelhas retornaram ao local.

Abaixo, você encontra a localização exata das colmeias que hoje, oferecem perigo aos escaladores, e dicas de como evitá-las.

PEDRA DO BAÚ

Quem escala no Baú a tempo, sabe que esta colmeia do Col é antiga. Há mais de 10 anos que ela se acomodou num buraco de difícil acesso, que fica numa passagem estreita da antiga trilha que dá acesso às vias da crista da aresta da Pedra do Baú (Normal, Chresta, Ensaio de Orquestra…). O fato de esta colméia ter tomado conta da área da trilha, foi um dos motivos pelos quais, a escada amarela foi instalada (pelo extinto CMSM – Clube de Montanhismo da Serra da Mantiqueira), e assim na época, pediu-se para os escaladores evitarem a antiga trilha, que além de muito erodida, ainda passou a oferecer o perigo de ferroadas. Com o tempo, a comodidade voltou e os escaladores retornaram a utilizar a antiga trilha, e os acidentes passaram a ser questão de tempo para acontecer.

Então, o recomendado é que quem quer que deseje escalar na área do Col e aresta do Baú, siga o caminho pela pedra, a partir da escada. Após a escada, 20 metros a frente, há um trepa-pedra. Você deve fazer este lance, caso contrário, ao entrar na trilha, ficará de frente com a colméia. Se você estiver inseguro, encorde-se e costure em móvel nas fendas do chão. Este é um procedimento simples e seguro. E evitará a continuidade da erosão na trilha.

1- escada amarela 2-trepa-pedra 3- colmeia e antiga trilha.

1- escada amarela 2-trepa-pedra 3- colmeia e antiga trilha.

1- escada amarela 2-trepa-pedra 3- colmeia e antiga trilha.

1- escada amarela 2-trepa-pedra 3- colmeia e antiga trilha.

ANA CHATA

Outra colméia se instalou na base da Peter Pan, via mais frequentada da Ana Chata. Para tentar passar ileso, encorde-se logo na saída da trilha e passe pela base da via rápido. Se você preferir se equipar na base da via, ficar de conversa e chamar a atenção das abelhas, sairá de lá correndo com várias delas querendo lhe picar.

Na segunda base, há marimbondos numa laca à esquerda e abaixo dos grampos.

Há outra colmeia, grande, do lado direito da terceira enfiada. Passe quieto, pois ali, elas são realmente perigosas, já que não há como rapelar tão rápido.

Na via dos Lixeiros, há 3 pontos com marimbondos. Estes insetos são menos perigosos somente pelo fato de formarem enxames menores. Mas são agressivos, picam várias vezes e devem ser evitados também pelos mesmos motivos que as abelhas.

Peter Pan

Peter Pan

Via dos Lixeiros e Tom Sawyer.

Via dos Lixeiros e Tom Sawyer.

BAUZINHO

A maior ocorrência de picadas por marimbondos no Bauzinho é na primeira enfiada (início do diedro e quase na parada) da via V de Vingança.

V de Vingança na face norte do Bauzinho. Cuidado nas fendas do diedro da primeira enfiada

V de Vingança na face norte do Bauzinho. Cuidado nas fendas do diedro da primeira enfiada.


Tags relacionadas:
AbelhasAcidente

Artigos Relacionados

Escalando Elektra na “simpática” Ana Chata

Semana passada fiz mais uma das muitas viagens no tempo que são as repetições de algumas das vias da Pedra

A escalada na Pedra do Baú nos anos 70 – Papo com Ralph Pfister

Neste final de semana, após escalar com o amigo Weslei Costa, tive o prazer de encontrar com Ralph Pfister no

Mountain Bike nos altiplanos da Pedra do Baú e sul de Minas Gerais

  Neste post, dou a dica de um maravilhoso circuito partindo do ZOOM Bike Park até a Vila Maria em