Escalando a Pedra da Gavea pela travessia dos Olhos

Escalando a Pedra da Gavea pela travessia dos Olhos
Gavea vista do Pao de Acucar

Gávea vista do Pão de Açúcar

Semana passada consegui, finalmente, fazer a travessia dos Olhos, uma escalada em diagonal na Pedra do Gávea que apesar de fácil, nunca conseguia parceria para escalá-la.

A Pedra da Gávea é o maior monólito a beira mar do planeta, formado por dois tipos de rocha distintas: a base de gnaisse e o topo de granito, que é o tipo de rocha predominante em todas as montanhas da cidade do Rio de Janeiro. Situada entre os bairros de São Conrado e Barra da Tijuca, a montanha se ergue 842 metros de altitude. Toda a área da montanha faz parte da Floresta Nacional da Tijuca, que é Parque Nacional e a terceira maior área verde urbana do Brasil , atrás apenas do Parque Estadual da Cantareira (São Paulo) e do Parque Estadual da Pedra Branca (Jacarepaguá, Rio de Janeiro).

Arthur, Ana e eu na terceira parada

Arthur, Ana e eu na terceira parada

Antonio Paulo na terceira enfiada da Travessia dos Olhos

Antonio Paulo na terceira enfiada da Travessia dos Olhos

Ana na parada antes do cabo de aço.

Ana na parada antes do cabo de aço.

Antonio Paulo na sequencia final do cabo de aço

Antonio Paulo na sequencia final do cabo de aço

Pedra da Gavea e a face do Imperador. Note os Olhos. A escalada segue pela parte inferior.

Pedra da Gavea e a face do Imperador. Note os Olhos. A escalada segue pela parte inferior.

Bem o nome Gávea foi dado por portugueses colonizadores por conta do seu formato superior que tem a forma de uma gávea, muito comum nas antigas caravelas. Mas um observador mais atento notará que esta parte superior da pedra, vista do Leblon, se assemelha a um sarcófago egípcio. E a aparência que lembra uma Esfinge, atraiu a curiosidade de historiadores e deu origem a diversas teorias, em ter elas, a mais famosa é a de que diz respeito à presença de fenícios no Brasil. E de fato, há provas de que o Brasil foi visitado por estes navegadores na Antiguidade. No mínimo, esta teoria gera um bom papo para ser desenvolvido durante a escalada.

 

 

 

 

 

 


Related Articles

Cozinhando sem fogo

Ana ensina como fazer arroz sem fogo, deixando a panela com água o suficiente para o cozimento dentro do carro,

Escalando em Itatiaia – Couto

No segundo dia de rolê em Itatiaia o objetivo foi de escalar no Couto. Caminhada curta e escaladas em aderência,

Escalando em Itatiaia – Prateleiras

Aproveitando uma folga programada nos cursos da escola e acreditando numa possível janela de tempo bom, combinei com a Ana

No comments

Write a comment
No Comments Yet! You can be first to comment this post!

Write a Comment