Festa na Montanha 2024

Festa na Montanha 2024

Desde o início das festas de escalada em São Bento do Sapucaí, com o primeiro Festival BloX em 2001, um sentimento permeou esses eventos: a união da comunidade.

Assim foi nesse dia 27 de abril, com a Festa na Montanha de 2024. Mais uma vez também tivemos êxito em deixar algo de concreto para a comunidade com a inauguração do novo setor Nas Nuvens, preparado exclusivamente para a festa, e a liberaçãos dos setores Catedral e Lacas, somando ao todo quase 30 vias.

Primeira reunião da equipe organizadora em janeiro de 2024. Alan, Vinícuis, Moisés, Thaís, Carlo, Tatu, Leonard, Antero, Débora, Lello, André Belê, Nívea, D. Maria Elza e Sr. Dimas, eu, Charlie, Alexandre, Maeda e Hugo. Muitos outros se uniram nessa empreitada. Se você curtiu as vias e a festa, agradeça essa galera aí em cima.

Setor Nas Nuvens

O mais novo setor fica entre os setores Comunista e Corujas. Subindo pela trilha principal da Divisa Paulista, você passa pela segunda porteira e segue beirando a cerca até uma quedinha d’água. O acesso à trilha fica à esquerda da queda d’água por uma escadinha ferrata. ⚠️ Atenção! A trilha possui trechos escorregadios e expostos. Tomem cuidado.

Texto Thaís Pacheco

Antônio Calvo e Charlie Alves instalando a escada para um acesso mais tranquilo ao setor Nas Nuvens.
Croqui do setor Nas Nuvens em abril de 2024.

Muitas histórias para contar, mas algumas são especiais. Um setor onde em seu entorno era pasto e lavoura, hoje em dia está reflorestado; primeiras vias equipadas lá pelos anos de 2000; abertura de vias e troca de experiências entre escaladores; e a legitimação do nome do Setor.

Um pouco de conversa com o “Seu” Dimas e a Dona Maria Elza é possível conhecer um pouco mais sobre o lugar. Antigamente, por volta de 30 anos, próximo à falésia, foi utilizada a terra para plantações. Hoje em dia, olhando para o espaço, é possível perceber como a natureza é formidável. O que era apenas vegetação rasteira se transformou em uma linda mata. A trilha até a rocha estava totalmente fechada e hoje com a contribuição da comunidade de escaladores foi reativada, transformando-se em uma trilha mais protegida em alguns trechos com cordas e degraus de ferro para facilitar o acesso.

As primeiras pessoas a explorarem a parede da falésia foi o Eliseu Frechou, João Alberto Costa e o Arjuna Sundara. Eles acessaram por cima da falésia, ancorando-se em árvores e desceram equipando as duas primeiras vias: Boi de Piranha (7b) e a Zoiudo (6ºsup), respectivamente. Para a abertura do Setor, essas vias foram mais protegidas, mas quem entrou nelas antes, pôde desfrutar da adrenalina das proteções esticadas.

Sobre a abertura de outras vias no novo setor, foi montado um grupo de escaladores voluntários (mutirão) para realizar os devidos trabalhos. Havendo muita troca de experiências (conhecimentos e aprendizados), contando com a presença de escaladores experientes e novatos.

E por último – sobre o nome do Setor – em um dia de empreitada para conquistas, limpezas e de escaladas para graduação de algumas vias, e também de uma previsão de tempo nada favorável (chuvas), um grupo de escaladores, retornou ao estacionamento no final do dia com uma chuva bem fininha, pois a chuvona mesmo veio por volta de uma hora antes. Chegando ao estacionamento, encontraram o “Seu” Dimas e a Dona Maria Elza nas janelas do casarão deles. Depois de algumas conversas e risadas, “Seu” Dimas decretou o nome do setor, falando que lá – onde os escaladores estavam – era o Setor das Nuvens, e em seguida, olhou para a Pedra da Divisa, em direção ao Setor.

Quando os escaladores viraram-se e olharam para a Pedra, a visão era de nuvens passando pelo local do Setor, cobrindo-o totalmente. Ali, ficou decidido entre os escaladores e os moradores que esse seria o nome do Setor.

Das janelas do casarão deles, é apreciada a beleza da natureza e a passagem das nuvens pela Pedra da Divisa.

Texto: Alan Fialho 

Thais Pacheco na Presente de Grego
Alan Fialho na sua criação Shark
Moises Pedro na Vai Parar!
Moisés na Depois do Meio-Dia, 8a que atualmente é a via mais difícil do setor.
Ana melhorando a proteção do diedro da Zoiudo que junto com a Boi de Piranha, foram as primeiras vias do setor.

Setor Catedral

Esta semana terminamos de preparar o setor Catedral para ser inaugurado na próxima Festa da Montanha em São Bento do Sapucaí, junto com outros mais. Sua história começou há mais de 20 anos, quando Ricardo Borbon e Wilson “Mica” começaram a primeira conquista com a via Abelhas assassinas.
Algum tempo depois, Beto Sponchiato, Russo e Braga abriram a Nunca mais, outra via no estilo tradicional. Mais uma vez nome inspirado pelas abelhas.

O setor, porém, ficou esquecido por muito tempo. Até que a queda de uma árvore facilitou o acesso ao primeiro platô e abriu a possibilidade de novas conquistas.

Há alguns anos Eliseu Frechou e Ana Fujita começaram esse trabalho com a via Respeito e deu-se início a um projeto espontâneo de desenvolvimento do lugar, com a posterior participação de Leandro Pardal , Leonard Moreira, Dionísio Carvalho, Júlio Pimentel, André Maeda e Alexandre Loureiro. Foi um trabalho bastante árduo, principalmente de limpeza das bases, repleta de cipós e terra. Muitas vezes o início da conquista de uma via foi precedido de vários meses de limpeza de seu acesso para, então, finalmente conseguirmos “furar” a pedra.

Todo esforço é mais do que compensado pelo fortalecimento das parcerias, sentimento de amizade, prazer de estar pendurado e por poder contribuir para a comunidade de escalada.
Nesse processo buscamos sempre o diálogo com os demais escaladores e o respeito aos esforços anteriores e à ética local. Acreditamos esse ser um bom caminho para fortalecer os laços de união e amizade na comunidade de escalada.

O nome “Catedral” vem de sua parede imponente e teto majestoso, que serve como base para o cruzeiro no cume da pedra. O novo setor se soma a outros tantos. Hoje a Pedra da Divisa conta com mais de 150 vias, conquistadas por mais de 50 escaladoras e escaladores de diferentes estilos, e com espaço para esses números aumentarem.

Além de todos que contribuíram para esse projeto, queremos dar um agradecimento especial e carinhoso a Maria Elza e Seu Dimas, proprietários da terra, que sempre nos impressionam com sua generosidade e modo de ser.

Texto: André Maeda

Setor Vandinho

Situado na Divisa Mineira, logo depois do setor Hospício na Divisa Mineira, você vira à esquerda subindo a trilha. (há uma placa indicando o caminho). Foi aberto em homenagem ao querido Vandinho, que partiu do plano físico mas que permanece no coração dos familiares e amigos. O setor conta com 4 vias mistas de 5° a 7c, e a vista da serra é demais!

Neste espaço que celebra a vida do nosso amigo, também queremos abrir um diálogo sobre saúde mental. Galera, ser escalador não significa que estamos sempre bem e “na vibe”. Está tudo bem não estar bem. E se estiver precisando, não hesite em buscar ajuda de quem você confia e de profissionais da área da saúde. Peça ajuda quantas vezes e pelo tempo que for necessário. Não negligencie a sua saúde mental. Tamo junto! ✌️
Texto Thaís Pacheco

Setor Vandinho. Croqui de Will Haruo.

Setor Lacas

O setor Lacas fica a uns 200m do setor Hospício. A via Laca Minguante é identificada por uma plaquinha e aí fica fácil encontrar as outras.

Croqui por Will Haruo

A Festa da Festa na Montanha

A noite da festa foi realmente incrível, como a comunidade de escalada comparecendo em peso. Nos sentimos muito prestigiados com a presença de pessoas ilustres como o Sr. José Dimas, D. Maria Elza, Isabela, proprietários da Pedra da Divisa e o Sr. Ildefonso Mendes Neto, ex-prefeito e grande liderança no nosso município.

Isabela, D. Maria Elza e Sr. Dimas.
Sr. Ildefonso, Rômulo e Jéssica
Simone, Alê e Wiland
Charlie, André Berezoski, Antônio Calvo e Nívea Berezoski
Armando Galassini, Reinaldo Kayzuka, conquistadores de vias clássicas nos anos 2000 como Parque dos Dinossauros e Marvada Bunda e Silvério Nery ex-presidente da CBME.
Cris e Lidiane na loja da SBI
Claudio Medeiros, xeride da falésia Paraíso, na loja da SBI
Tatiana, Moises, Thais, Alexandre e Moara
André “Belê” Berezoski bolou vários desafios criativos.
As brincadeiras comandadas pelo André “Belê” Berezoski anmaram a festa.
Silvério Nery com uma set list de rock clássico começou a festa.
Eduardo e Denis no comando. House e trance pra mandar a vibe.
Muita gente conhecida e novas amizades.

Outras atividades

Leo Cassiano da BoltHolds deu uma oficina de shape de agarras na tarde antes da festa,
Oficina de Treino Mental para Escaladores ministrada pelo psicanalista e escalador Lucas Lima.

Para saber sobre as próximas edições da Festa na Montanha, siga https://www.instagram.com/festanamontanha.sbs/

Eliseu Frechou

Eliseu Frechou

Guia de montanha e instrutor de escalada. Iniciou no esporte em 1983 e desde então se dedica ao montanhismo e à escalada tempo integral atuando em diversos segmentos, mas principalmente na organização de expedições, produção de documentários e filmes.


Tags assigned to this article:
DecathlonDeuterFesta na montanhaSimondSolo

Related Articles

Festa na Montanha 2022

  Tradicional festa que acontece em São Bento do Sapucaí, é organizada pela e para a comunidade de montanhistas e

Festa na Montanha em São Bento do Sapucaí

Programamos a FESTA NA MONTANHA 2014 para dia 14 de Junho em São Bento do Sapucaí Espaço BBLOC Rua Major

Rio Mountain Festival 2013

Com dois dias de exibições num dos mais bonitos cinemas da cidade do Rio de Janeiro, a 13ª. Edição do

No comments

Write a comment
No Comments Yet! You can be first to comment this post!

Write a Comment