Freios “automáticos” para escalada e montanhismo

Freios “automáticos” para escalada e montanhismo
Cuidado com o que você considera freio

Cuidado com o que você considera freio

Os freios semi-automáticos foram um grande avanço em prol da segurança na escalada, possibilitando uma maior tranqüilidade em ambientes como ginásios ou falésias, onde o segurança pode se distrair e relaxar na segurança do companheiro que guia. Mas então por que ainda acontecem acidentes devido à liberação de corda durante quedas, sendo que o segurança estava usando um dispositivo que “deveria” frear a corda durante uma queda inesperada?
A resposta é simples: Estes freios, ao contrário do que alguns escaladores pensam, não são “inteligentes”, portanto não conseguem distinguir entre uma queda e uma puxada proposital do segurança querendo liberar a corda um pouco mais rápido.
Estes dispositivos travam a corda baseados na mudança abrupta de velocidade que passa por dentro deles. O que a grosso modo, quer dizer que se você começar a puxar a corda devagar e depois for aumentando a velocidade, puxando-a rapidamente, o freio não travará a corda. Se ao contrário, a corda estiver parada e você a puxar de forma repentina, ele a travará.
Diversos outros fatores influenciam no travamento da corda. Bitola e estado de conservação interferem na frenagem. Uma corda mais fina e nova, ira gerar muito menos atrito no freio que uma corda grossa e toda peluda.
Importante frisar que alguns freios (como o grigri) não podem ser usados com eficiência em escaladas com várias enfiadas, pois não devem ser usados perto do mosquetão direcionador ou costuras, sob o risco de numa queda violenta, esbarrar nos mosquetões ou rocha e estes destravarem a alavanca que libera a corda. Neste caso (vias de várias enfiadas), você tem que optar por um freio modelo tubo: ATC, Chuy, Cubik, Bug…
Leia o manual que acompanha seus equipamentos antes de usá-los, se você não ler inglês corretamente, não deduza, exija a explicação do lojista que o vendeu, ou visite o site do fabricante para baixar o manual em português (geralmente um arquivo PDF).
O importante é entender que este tipi de freio não é “a prova de negligência”. Mantenha sua mão sempre na corda que alimenta o freio, pronta para travar a corda e segurar uma queda. Não se distraia, passando a responsabilidade da vida de seu companheiro para um pedaço de metal e plástico.


Artigos Relacionados

Nós errados e escaladores com vocação pra defunto

Em minha vida de escalador já vi muitos procedimentos errados. Técnicas que achávamos certas e depois de muito tempo, descobriu-se

Cordas de escalada – identificando desgastes perigosos

  É frequente amigos me mostrarem cordas que sofreram desgaste para lhes aconselhar se podem continuar usando-as ou não. Primeiramente,

Equipamentos para montanha e trilha

Os equipamentos que estou usando pelas caminhadas, pedaladas e viagens por aí Bota Tronador Snake – impermeável e respirável, de alta